Conecte-se

Só Dá Elas

Mulheres de Vila #5 – Torcedora realiza sonho em conhecer a Argentina através do Santos

Frequentar o estádio é uma terapia para qualquer torcedor apaixonado. E é algo que alguns têm o privilégio de vivenciar essa experiência desde cedo, como o caso da Nanny Santos. Ela tem 32 anos, nasceu em São Paulo, cresceu no interior, em Hortolândia, e atualmente mora em Santos. Desde a infância, comparece no estádio e é santista por influência do pai.

“Desde que me conheço por gente meu pai me levava no estádio, então não sei dizer qual foi meu primeiro. Já até perguntei ao meu pai, mas ele também não sabe. As melhores lembranças da infância são aqui em Santos, amava quando chegava o domingo que a gente vinha, íamos pra praia depois pro estádio, e pra criança tudo é uma festa, amava tudo aquilo, ir pra arquibancada, ficar cantando e pulando, e foi tudo isso que me fez apaixonar pelo Santos”, contou a torcedora à reportagem do Meu Peixão.

Essa paixão fez com que a torcedora tivesse o sonho de frequentar muitos estádios. No ano passado, antes da pandemia do covid-19, ela realizou um deles durante a campanha do Santos na Libertadores 2020.

“O lugar mais longe que vi um jogo foi em Buenos Aires, na Argentina (na partida entre Santos x Defensa y Justicia). Sou apaixonada por futebol desde pequena e tenho o sonho de conhecer vários estádios, dentre eles estava La Bombonera (estádio do Boca Juniors) e consegui realizar, entrei lá, foi emocionante. Já o estádio do jogo ficava em uma província isolada, rua de terra, completamente diferente do cenário de Buenos Aires, e era um estádio muito raiz, com arquibancada de madeira, não havia banheiro, nem camarote, tanto é que a esposa de jogadores ficou junto com a torcida do Santos. E o jogo foi emocionante, o Santos ganhou de virada, e ali deu pra sentir o que seria a Libertadores”, lembrou Nanny.

Apesar da festa, quando estavam indo embora, os argentinos atacaram os torcedores e Nanny passou por esse perrengue inesperado.

“Deram pedradas no ônibus, e esse momento foi bem tenso e não era um ônibus de torcida organizada, até havia alguns, mas era de pessoas aleatórias que foram por conta. Mas onde jogaram a pedra, apesar de ter quebrado o vidro, foi na parte da escada e ninguém se machucou” – relatou

Além da viagem pra Argentina, uma no Brasil foi muito marcante para a torcedora: foi a de Chapecó, em Santa Catarina.

“O acidente que aconteceu em 2016 mexeu com todo mundo, por toda história, era um time que saiu daqui em busca de um sonho e terminou em tragédia. O Brasil é um país que ama futebol e todos se colocaram no lugar do torcedor da Chape e doeu muito. Naquela época já nasceu a vontade de conhecer a Arena Condá, e quando surgiu a oportunidade decidimos ir de carro para conhecer melhor a cidade, então consegui conhecer um pouco mais da história e é um lugar que respira o time, bar, farmácia, restaurante tudo tem o escudo da Chape. Da para sentir o luto das pessoas ainda, mas quando chegamos ao estádio e vemos a homenagem às vítimas é difícil não se emocionar, sai de lá chorando muito. A torcida quando canta ‘Vamo vamo Chape’, é de arrepiar.” – contou Nanny.

Nanny faz parte da Torcida Jovem do Santos, e falou um pouco sobre o papel da mulher na torcida organizada e no futebol.

“A Torcida Jovem é uma torcida que abre espaço pra mulher, tremular a bandeira, na bateria, projeto sociais, etc. E tem muita torcida que não permite que a mulher faça tudo isso. Tem muita coisa a melhorar e evoluir, principalmente quando nas caravanas vamos a jogos fora do estado, dificilmente há policial feminina porque eles acham que só vai ter homem. E hoje em dia a mulher está conquistando um espaço muito grande no futebol, no jornalismo, na arquibancada, organizada. A mulher está tendo essa liberdade, crescendo cada vez mais e eles precisam acompanhar isso”, finalizou.

Estudante de jornalismo na Universidade Santa Cecília. Nascida no interior mas caiçara de coração, se mudou para viver seu amor pelo Santos de perto.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Hamilton Luis gimenes

    1 de abril de 2021 às 15:43

    Nascer e no Santos morrer .. é um orgulho que nem todos podem ter ,e nós temos… 👏🏼👏🏼👏🏼 Parabéns Bela história…

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Só Dá Elas

%d blogueiros gostam disto: