Conecte-se

Futebol

Lesões ligamentares viram problema no Santos com quatro casos em pouco mais de um ano

O volante Sandry sofreu ruptura do ligamento cruzado do joelho direito durante treinamento e terá que passar por cirurgia no local, se tornando desfalque do meio-campo do Santos por um período de seis a nove meses.

Sandry é o quarto jogador santista a ter esse tipo de lesão em pouco mais de um ano. Antes dele, o Peixe teve azar e viu Renyer, que vinha sendo utilizado com frequência por Jesualdo Ferreira, Sánchez, quando parecia retomar o bom futebol, e Jobson, às véspera da decisão da Libertadores, também sofreram contusões graves e se tornaram desfalques.

Em contato com o Meu Peixão, o médico do Santos e especialista em Joelho e Medicina Esportiva, Dr. Carlo Alba, explica que este tipo de lesão é um risco em esportes de alta performance como o futebol. “A lesão ligamentar tem alguns fatores de risco, mas mesmo com os processos de prevenção que acontecem em todo time de futebol de alto nível, como o bom condicionamento físico e o reequilíbrio da musculatura, é um risco que o jogador sabe que corre”, ressalta.

Alba salienta que a dinâmica do futebol é cada vez maior e que não existem processos que possam acelerar a recuperação. “Com o jogo cada vez mais dinâmico, mais intenso e mais veloz e com tantos movimentos para aceleração, desaceleração, mudança de direção e tanta intensidade, existe o risco dessa lesão, que não tem como “correr” com a recuperação. Como é uma ruptura de um ligamento, é realizado um enxerto na área e o processo de adaptação biológica ao corpo é entre seis e nove meses. Obviamente, um atleta profissional tem um acompanhamento completo e um trabalho integrado com a equipe de fisioterapia, que é fundamental no processo de recuperação”, exalta.

Renyer se lesionou com a Seleção Brasileira sub-17, já está recuperado e treinando com o elenco. Sánchez rompeu o ligamento no início de outubro e já havia voltado a correr no campo do CT Rei Pelé antes do lockdown imposto pela Prefeitura Municipal de Santos e vinha treinando em casa com supervisão do DM do clube. Por fim, Jobson realiza tratamento em dois períodos no CT e é o que está mais distante do retorno aos gramados, já que se lesionou em meados de janeiro.

21 anos, estudante de Jornalismo na UNISANTA. Apaixonado pelo jornalismo, fanático por futebol.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Futebol