Conecte-se

Bastidores

O enRollo de Rueda no caso Sabino

O termo “Efeito borboleta” é um termo que se refere à teoria do caos, e segundo a cultura popular, na teoria apresentada por Edward Lorenz, o bater de asas de uma simples borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas, e assim, dentro de uma cadeia de eventos sucessivos, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo.

Bem, de caos o torcedor santista conhece, e não achei nenhuma analogia ou introdução melhor do que esta para analisar o que levou o Santos rescindir gratuitamente o contrato do Sabino, um jogador formado no clube desde 2011, e com mercado dentro do cenário nacional. Confesso que vejo muitos torcedores analisando o fato de maneira simplista e rasa, e principalmente alguns “formadores de opinião” divididos acerca do real prejuízo ou benefício que isso gerou ao clube.

Antes de mais nada, é necessário voltar no tempo e entender a sucessão de eventos que culminaram no ocorrido da ultima semana.

Sabino chegou ao Santos em 2011, e ao invés de subir ao time profissional, uma vez que o elenco principal desfrutava de bons zagueiros, destinou-se a jogar no sub 23, junto com outro atleta que ganhou espaço no clube posteriormente, Diego Pituca, e posteriormente foi emprestado ao Coritiba por duas temporadas consecutivas. No momento inicial do empréstimo, seu contrato vigente com o Santos ia até setembro de 2022 e seu salário era de 40 mil reais mensais.

Ao iniciar a sua segunda temporada, o Coritiba, do próprio bolso elevou seus vencimentos ao valor de 120 mil reais mensais, uma vez que era peça fundamental no seu setor defensivo naquele momento.

Antes de avançarmos na linha do tempo, devemos lembrar que o Sabino, em um time desarrumado, possuía médias de desempenho individual superiores ao de Luan Peres, Veríssimo, e também de grande parte de jogadores que tiveram seus times disputando o título brasileiro, como todos os zagueiros do São Paulo por exemplo. Lembrem-se, não afirmei que ele era ou é melhor zagueiro que todos os citados, apenas que seu scout de desempenho era superior.

Ocorre que enquanto a temporada se afunilava, o transferban assolava o clube juntamente com a iminente saída de Peres, emprestado junto ao Brugge e a rebeldia de Veríssimo, e se esperava que Sabino viesse a ser titular quando voltasse do empréstimo. E justamente nesse período, mais precisamente em dezembro, de acordo com as próprias palavras do ex-presidente em exercício à época, Orlando Rollo, o Kashima Antlers ofereceu 750 mil dólares aos cofres do Peixe, e um salário de 450 mil reais ao atleta. Por ocasião das eleições levada a proposta, houve veto do Conselho Deliberativo, e também um pedido do futuro mandatário santista, nenhum atleta deveria ser vendido naquele ultimo mês de mandato, deixando para janeiro a analise de todas as possíveis vendas e renovações.

Ocorre que Orlando Rollo, que não mencionou ao Conselho Deliberativo que renovaria com o atleta caso a venda não fosse aprovada, e acabou por não acatar a sugestão do futuro mandatário santista de deixar para a nova diretoria a negociação da renovação, da própria cabeça resolveu renovar pelos valores que acabaram vazando recentemente. Foi-se noticiado que o atleta receberia R$ 200 mil no primeiro ano de contrato; R$ 220 mil no segundo; R$ 240 mil no terceiro e R$ 280 mil no quarto e último, além de R$ 1 milhão de luvas para Sabino e R$ 1 milhão para seu empresário, Luiz Taveira, que essa semana defendeu a renovação. O empresário que trouxe André Astorga para o Santos, disse ter “mais história positiva no Santos do que essa diretoria”. Tá certo.

Por sabe-se lá qual motivação, Orlando Rollo assinou essa renovação no apagar das luzes da sua gestão tampão, atitude esta que enRollou (rsrs) Rueda e a atual gestão que vem enxugando todo e qualquer gasto para azeitar a máquina a ponto de ser auto sustentável, enquanto busca a renovação com inúmeras promessas da base. A justificativa de Rollo para o acerto noticiado é justamente a defasagem salarial do contrato de 40 mil frente ao que o Coritiba pagava, e principalmente aos 450 mil dos japoneses.

Ok, mas não mataria ninguém ele esperar a nova gestão assumir, uma vez que todos os contratos da serie A foram estendidos por mais dois meses por conta da paralização por conta da pandemia na temporada 2020. Ou seja, o Coritiba honraria até fevereiro com os vencimentos do atleta, fazendo Rueda ter dois meses para negociar uma renovação, o que infelizmente não ocorreu e poderia ter evitado todo este desgaste e prejuízo.

Após tentar de todas as formas se livrar de Luiz Felipe, que possui bases salariais mais altas que Sabino (Juventude, Chapecoense e Peñarol tentaram levar o zagueiro destro) e não conseguir, a gestão que tenta encaixar a renovação de Derrick e Kaio Jorge no orçamento, fez o que na minha opinião é o primeiro deslize dentro de vários acertos nesse começo de triênio. Primeiramente vazou os valores do contrato jogando o atleta contra a opinião pública, pintando o quadro de que era inviável economicamente manter o jogador por culpa da gestão anterior, que se adiantou negando o pedido para aguardar alguns dias para a renovação. Posteriormente criou a oportunidade do jogador sair de graça, numa rescisão amigável.

Ora, embora a economia anual ultrapasse os 3 milhões de reais entre salários, encargos, luvas e comissões, o jogador que além de novo, podendo dar retorno financeiro, tem números de desempenho dentro da própria serie A que não faria os 200 mil reais serem tão absurdos dentro do mercado nacional. E mesmo que ainda assim não quisessem permanecer com ele, quando cair o transferban, seu passe poderia ser utilizado como moeda de troca para suprir as carências do time. Basta lembrar que o próprio Kashima Antlers renovou a proposta pelo Pituca após a mesma negativa do Conselho Deliberativo.

Seja qual for a natureza desse imbróglio; político, técnico ou financeiro, é necessário lembrar que o clube investiu na formação do atleta por quase uma década, e que rifa-lo dessa forma, embora dê o exemplo a curto prazo a alguns empresários e atletas de que o Santos precisa assinar os contratos sempre visando a austeridade financeira, pode fazer o tiro sair pela culatra caso ele seja vendido a preço de ouro, ou no mínimo interessante, caso ele estoure, assim como o Robson Bambu que foi para o futebol francês.

Esperamos que Andres Rueda consiga dentro da sua justificativa para tal ato, lograr êxito nas renovações de Kaio Jorge, Derrick (ja apalavrado) e futuramente de Sandry. Com certeza o presidente ainda possui saldo bem positivo e tem recebido elogios por grande parte da torcida, esperamos que ele também aceite as críticas de quem tem o elogiado e possa visar sempre pela transparência, deixando de lado qualquer divisão política, uma vez que gestões passam e o clube sempre permanecerá.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Peixão.

Advogado, nascido e criado na cidade da Vila mais famosa do mundo. Alvinegro apaixonado e consciente desde 95 graças ao Messias. Metódico, sistemático e cheio de TOCs, maluco por história, estatísticas e táticas no futebol.

4 Comentários

4 Comentários

  1. luiz robertto

    9 de abril de 2021 às 15:32

    Todos presidentes, não recebem salarios, ao meu ver, devem receber um por fora, veja só, o jogador é do Santos, pq pagar 1 milhão ao agente, os clubes contratam e pagam aos agentes de 1 milhão a 3 milhões. Estes clubes são todos trairas, deveriam reunir-se e colocar em pauta o seguinte, se m jogador quer sai do clube, e recebe 120 mil, o outro clube, que esta sendo oferecido este, deve propor salários de 120m e pronto.

  2. Gabriel Mendes Zupo

    8 de abril de 2021 às 13:19

    Essa renovação foi no mínimo estranha e infelizmente não podemos ver se ele teria potencial para jogar no santos

  3. Floreal

    8 de abril de 2021 às 11:35

    Só não vê quem não quer ver. Alguém tentou levar uma vantagem financeira nessa negociação. Porque pagar um milhão para um empresário conhecido aqui em Santos,por uma Renovação de contrato que só terminaria em 2022. Comissão pra renovação??????? Tá muito esquisito isso aí

  4. Leonardo Sócio 10

    8 de abril de 2021 às 10:28

    Excelente análise . Me parece mais uma grande crise de relacionamento entre Taveira e Rueda. Ambos não terem sequer tentado reduzir os salários para 120 mil por exemplo no 1º ano ou abolir as luvas absurdas para atleta e empresário totalmente ilegais nas leis FIFA … ou tentaram !!!???
    Enfim como todo imbróglio tem 3 verdades !!! Rueda , Taveira e a VERDADE VERDADEIRA !!!
    E nosso Santos sai prejudicado mais uma vez . Isso faz com que os que tem cérebro imaginar que Rollo e Taveira não podem frequentar mais a Vila Belmiro ???
    Fica a questão !!! Pergunta para Astorga e Noguera !!!

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Bastidores

%d blogueiros gostam disto: