Conecte-se

Bastidores

Rueda pode bater um recorde no Santos FC

Por Aldo Neto*

Nesta quarta-feira (14/4) o Santos comemora 109 anos tendo na presidência Andres Rueda, espanhol que viveu por anos em São Paulo e que se mudou para Santos com intuito exclusivo de ser Presidente do Santos. E pode encerrar seu período no cargo com um feito inédito nos 109 anos de história.

Sabedor do bairrismo santista, se mudou para um apartamento de frente para a praia (no mesmo prédio onde reside o ex-presidente Marcelo Teixeira) e se aposentou para realizar seu sonho e ser presidente do maior clube do mundo. Para tanto, em Outubro de 2020, investiu R$ 10 milhões para encerrar o transferban na FIFA relativo ao não pagamento da compra de Cleber Reis junto ao Hamburgo da Alemanha, o que possibilitou o registro de Robinho e Laércio no time e foi determinante para a vitória eleitoral da chapa de Rueda em dezembro.

Caso termine seu ciclo na presidência, Rueda será o primeiro presidente não natural da Baixada Santista a encerrar o período eletivo no cargo, saindo pela porta da frente.

Antes de Rueda, o Santos teve apenas quatro presidentes de fora de Santos: Vasco José Faé (1971-1975), Manuel dos Santos Sá (1987-1988), Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro (2010-2013) e José Carlos Peres (2018-2020). Todos não encerraram seus ciclos na presidência, saindo ou por renúncia ou por impeachment.

Industrial de São Bernardo do Campo (com uma indústria nas margens da Rodovia Anchieta ao lado da Volkswagen), Vasco José Faé foi eleito presidente do Santos em 1971, vencendo Athié Jorge Coury, que presidiu o Santos por 27 anos e conquistou as maiores glórias do Peixe. Faé tinha sido diretor de Coury e foi eleito em uma aliança de diversos ex-diretores do Santos que racharam com o presidente devido a diversos motivos. Uma das razões foi a compra do Parque Balneário Hotel, que Athié comprou pensando na legalização do carteado e do jogo, ao invés do campo da Associação Atlética Americana (perto da Vila, onde hoje é a Escola Primo Ferreira), para montar um CT ao time.

Vasco José Faé (Foto Museu da Pessoa)

Faé foi eleito e reeleito e renunciou junto com seus vices em 1975 no meio de seu segundo mandato, pouco tempo após a despedida de Pelé em 1974. Faé e sua diretoria foi muito criticada pelos torcedores pelos resultados do time pós-saída de Pelé e não aguentaram a pressão. Quem entrou em seu lugar foi Modesto Roma, o Gigante da Vila, ex-vice de Coury e presidente do Conselho à época.

Manoel dos Santos Sá, o popular Maneco das Tintas, sucedeu Milton Teixeira em 1987 sob o peso de fazer o Santos novamente campeão após o Paulista de 1984. Paulistano e de coração corintiano, Maneco era um empresário de sucesso do setor de tintas. Fã do futebol histórico do Peixe, Santos Sá tentou trazer empresários para a Vila e resgatar a época dourada. Investiu 30 milhões de cruzados no clube. Não conseguiu êxito, as dívidas do clube cresceram e Maneco não suportou as cobranças da torcida, renunciando sendo sucedido pelo presidente do Conselho, Otávio Alves Adegas.

Maneco Acervo Santista

A renúncia se deu após o Conselho vetar a venda de Cesar Sampaio e Marco Antonio Cipó (que era tido como “o novo Pelé”) por Juan Figger a um time da Arábia Saudita. “Nem santista sou. Estou aqui para ajudar. Se eles não querem ser ajudados, não posso fazer nada”, disse Maneco ao renunciar.

Empresário do ramo de especulação imobiliária em São Paulo, Luiz Álvaro de Oliveira Ribeiro venceu disputada eleição em 2009 encerrando 10 anos de mandatos seguidos de Marcelo Teixeira. Ganhou quase tudo em dois anos, perdendo o Mundial para o Barcelona, jogando com Neymar vendido “sem saber”.

J. F. DIORIO/ESTADÃO

Reeleito em 2011, renunciou antes do fim de seu segundo mandato em 2013, após pedir afastamento ao sofrer ameaça de impeachment liderado pelos conselheiros José Paulo Fernandes, Celso Leite e José Renato Quaresma, após a derrota pro Barcelona por 8 a 0 em amistoso na Espanha, parte da nebulosa negociação de venda de Neymar que até hoje corre na Justiça Desportiva Internacional.

Fundador da ONG Santos Vivo e funcionário do Santos em São Paulo por 4 gestões (Marcelo Teixeira, Luiz Álvaro, Odílio Rodrigues e Modesto Roma Jr), o empresário de futebol José Carlos Peres foi eleito presidente em 2018 na sucessão de Modesto Roma Júnior. Foi o primeiro presidente do Santos a sair do cago sem títulos após 2002. Sofreu 3 processos de impeachment e caiu no terceiro sendo sucedido por seu vice, Orlando Rollo.

Reprodução/ Facebook

Sua gestão é marcada por fazer a maior venda da história do Futebol Sul-Americano (Rodrygo ao Real Madrid por R$ 215 milhões) e não pagar um boleto sequer, como ele mesmo revelou na live Pauta Quente do Portal Meu Peixão.

Ao invés de pagar boleto, fez várias dívidas monstruosas e não pagou nenhuma como Bryan Ruiz, Cueva, Uribe, Soteldo, Felipe Aguilar, entre outros. Ainda perdeu de graça atletas da base como Robson Bambu, Leo Citadinni, Gustavo Henrique e Yuri Alberto. Escondeu e depois revelou que seu principal consultor na área de futebol era o médico e empresário Renato Duprat, com inúmeras passagens nebulosas antes na Vila.

Rueda já afirmou que é contra dirigente colocar dinheiro no clube, a não ser em momentos de perda eminente. Por isso colocou R$ 10 milhões em outubro, na gestão Rollo e pagou o Hamburgo. Se honrar essa filosofia e arcar o prejuízo de Soteldo, que já rende ao Santos um transferban e pode custar a saída de graça do atleta, Rueda tem tudo para ser o primeiro presidente oriundo de fora da Baixada a sair pela porta da frente do clube. Já mostrou grandeza ao assumir o erro da inscrição de Madson no Paulistão, mas precisa agir presidente e punir os aprendizes de Executivo que cometeram o erro que o senhor acertadamente mata no peito. Se realmente finalizar as diversas “conversas iniciais” colocadas em sua coletiva de 100 dias e cumprir com suas filosofias e promessas apresentadas, mesmo as pegadas de empréstimo (como o campo para as Sereias da Vila em Cubatão, que foi apresentada por outro candidato na eleição de 2020: Rodrigo Marino), Rueda marcará a história. Se cumprir a promessa de não sair candidato a reeleição será ainda mais fácil. Rueda tá com a bola para ser o primeiro presidente do Santos de fora da Baixada a sair pela porta da frente da Vila. É nossa torcida e de todo santista.

* Aldo Neto foi gerente de Comunicação do Santos de 2002 a 2009. Lançou a SANTOS TV, reformulou o site do Santos e foi um dos idealizadores dos mascotes Baleinha e Baleião, vencedores do Marketing Best 2007 de Marketing Esportivo. Atualmente, é diretor e apresentador do CANAL DO SANTOS FC, único programa de TV exclusivo do Peixe.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Peixão.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Bastidores