Conecte-se

Colunas

As joias de Fernando Diniz

No dia 23 de março de 2021, muito antes de imaginar a chegada de Fernando Diniz, expliquei aqui no Meu Peixão o que Willy Wonka, dono da cinematográfica Fantástica Fábrica de Chocolates, tinha a ver com o Santos.

Na oportunidade, destaquei nomes como Kaiky, Balieiro, Sandry, Pirani, Marcos Leonardo e Ângelo e fiz menções honrosas a Lucas Lourenço, Ivonei e Renyer. Ontem, em entrevista coletiva, o atual treinador Fernando Diniz foi questionado sobre Kaiky, Pirani e Ângelo. Destacou os três.

Sobre Kaiky:

“O Kaiky tem um futuro brilhante. Fazer o que ele faz com 17 anos é surpreendente, como outros também. A projeção é absolutamente positiva.”

Como achar um zagueiro (no mercado) que joga melhor que o Kaiky hoje? Podem vir e brigar por posição, mas os jovens estão marcando território. A gente tem que reforçar com quem vista a camisa e não sinta o peso, jogando com naturalidade.”

Sobre Gabriel Pirani:

“O Pirani tem excelente projeção, tem tudo para brilhar e ter uma carreira linda. Foi muito bem (contra o Boca Juniors, terça-feira), deu ritmo, tirou a bola da pressão. Mostra o tamanho do jogador que ele pode vir a ser. Com a qualidade que ele tem, fazer uma partida tão boa contra um adversário tão duro. Eu vi uns seis jogos anteriores do Santos, e o Pirani tem sido destaque em quase todos.”

Sobre Ângelo:

Minhas palavras para o Ângelo (para substituir Marinho contra o Boca) foram de incentivo, de tirar excesso do acanhamento. Faz parte do jogo dele essa postura (de buscar as jogadas individuais). Com certeza fazia na base e trouxe ele ao profissional. Não vamos mudar, a gente tem que potencializar. Ele vai ter maturidade para encontrar o feeling, o melhor momento entre driblar e passar. O que ele produz com 16 anos é surpreendente, fora da curva. Só de jogar com 16 anos e conseguir se impor contra o Boca, é de tirar o chapéu.”

As três principais joias do Santos têm em Diniz um treinador que gosta de aproveitar e desenvolver jovens jogadores e se, de fato, Fernando Diniz conseguir lapidar esses diamantes brutos que tem em mãos, terá como desenvolver, simultaneamente, todo o time. Imaginemos o cenário com os três rendendo perto do seu potencial máximo.

Kaiky é zagueiro e, ao lado do excelente Luan Peres, poderia formar uma das melhores duplas de zaga do país. De boa estatura, com boa saída de jogo e precisão nos desarmes. Aliás, é fundamental destacar a maturidade do jovem, de apenas 17 anos.

Partindo para o meio-campo temos Pirani, de 19 anos, que, hoje, joga ao lado de Alison e Jean Mota (pelo menos até a volta de Carlos Sánchez). Gabriel Pirani já mostrou potencial elevado, com boa visão de jogo e qualidade no passe, podendo ser uma ótima peça para acelerar, com eficiência, a armação de jogadas da equipe.

Por fim, Ângelo, o mais novo a marcar em uma Libertadores, com seus 16 anos de idade. Atacante de beirada, habilidoso e driblador. Hoje, a coletividade e a finalização precisam ser aprimoradas. Com isso, ao lado do contestado por alguns, mas muito eficiente, Lucas Braga e Kaio Jorge, ou até mesmo o também promissor Marcos Leonardo, poderia potencializar o ataque alvinegro. Isso sem contar Marinho, que poderia fazer a jovem promessa mudar de lado.

Com a lapidação correta e paciente dessas joias, o Santos terá uma considerável subida de patamar, além, é claro, de um belo patrimônio em mãos, que pode ser decisivo na virada de chave no setor financeiro do clube. Porém, até chegarem ao nível que se deseja, é normal que estes garotos oscilem, e aí entra a importância da paciência do torcedor.

Como falei em 23 de março: Torçamos para que essa fantástica fábrica de talentos traga ao Santos o retorno que nem sempre merece, mas que seria tão delicioso quanto o filme dirigido por Mel Stuart em 1971 e por Tim Burton em 2005!

21 anos, estudante de Jornalismo na UNISANTA. Apaixonado pelo jornalismo, fanático por futebol.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pedro Silva

    16 de maio de 2021 às 23:56

    O clube não merece retorno?

    As revelações do Santos não são dele, são do Real Madri.

    Não são pra jogar no Santos, mas nos Reais Madrid’s.

    São jogadores “despertencentes” a agremiação, Santos F.C. é apenas, e meramente, barriga de aluguel.

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Colunas

%d blogueiros gostam disto: