Conecte-se

Vale a Pena Ver de Novo

Relembre os jogadores do elenco do Santos na conquista do tri da Libertadores e saiba o de estão atualmente

Há exatos dez anos atrás, o Santos era campeão da Copa Libertadores da América pela terceira vez em sua história, quase 50 anos depois de sua primeira conquista, e nós do Portal Meu Peixão, relembramos o torcedor de todos os atletas que fizeram parte do elenco campeão continental (com a idade que tinham à época) e onde estão nos dias de hoje.

GOLEIROS

Rafael (21 anos): Participou de todos os jogos do Santos na competição, e foi peça chave nessa conquista, com atuação histórica contra o América, no México. Atualmente, está com 31 anos e após passagem por Napoli e Sampdoria na Itália, é o dono da posição no Reading, da segunda divisão da Inglaterra.

Foto: Reprodução/GloboEsporte.com

Aranha (30 anos): Não atuou em nenhuma partida da Libertadores, mas virou o titular da posição após a venda de Rafael para o Napoli. Ficou no Peixe até o início de 2015, quando foi para o Palmeiras, sem o mesmo sucesso. Ainda passou por Joinville, Ponte Preta e Avaí. Atualmente possui 40 anos e está aposentado.

Foto: Reprodução/Instagram

Vladimir (21 anos): Assim como Aranha, também não participou de nenhum jogo da campanha do Peixe. Atualmente está com 31 anos e hoje está atrás de John e João Paulo na briga pela meta santista. Atuou em diversos momentos de lesão ou suspensão dos titulares, sendo crucial para a conquista do Campeonato Paulista de 2015, quando foi herói na disputa de pênaltis na final contra o Palmeiras. Teve passagem por empréstimo pelo Avaí, onde foi muito bem. É o jogador do atual elenco com mais tempo de casa.

Foto: Ivan Storti/Santos FC

LATERAIS

Pará (25 anos): Começou a Libertadores como titular, mas foi perdendo a posição para seus concorrentes Jonathan e Danilo. Participou de 10 jogos, incluindo a final (onde saiu do banco no segundo tempo) e não marcou nenhum gol. Hoje em dia, tem sua segunda passagem pelo Santos, após atuar por Grêmio e Flamengo. Pelo Peixe, são 273 partidas e 3 gols.

Foto: Ivan Storti/Santos FC

Jonathan (25 anos): Assumiu a titularidade na fase de mata-mata, mas constantemente era substituído por Pará ou por Danilo (como na final). Atuou em 7 jogos e fez 1 gol. Passou por Inter de Milão e Parma, na Itália, Fluminense e Athletico Paranaense e atualmente, aos 35 anos, está sem clube.

Reprodução: Gazeta do Povo/Lineu Filho

Danilo (19 anos): Titular absoluto do time, atuou por diversas vezes como volante, mas na final foi escolhido como o lateral-direito titular. Vice-artilheiro do Santos na competição, atuou em todos os jogos e marcou 4 gols, sendo um deles o que sacramentou o título do Peixe na final. Foi vendido ao Porto, onde atuou de 2012 a 2015, antes de passar por Real Madrid, Manchester City e Juventus, onde, aos 29 anos, está desde 2019.

Foto: Reprodução/Uol

Léo (35 anos): O mais experiente do grupo, Léo já havia sido bicampeão brasileiro com a camisa alvinegra praiana e estava em busca de seu primeiro título da Libertadores, após o vice em 2003. Participou de 12 jogos na campanha e ficou no Santos até abril de 2014, quando pendurou as chuteiras como o jogador mais vencedor da história do clube após a Era Pelé. Atualmente está com 45 anos.

Foto: Djalma Vassão

Alex Sandro (20 anos): Outra promessa que participou da campanha do Tri, Alex Sandro era o reserva imediato de Léo, entrando em quase todas as partidas para substituir o experiente lateral. Na Libertadores, participou de 10 jogos e não marcou nenhum gol. Atualmente, está com 30 anos e, após passagem de destaque pelo Porto, atua pela Juventus, assim como Danilo, desde 2015.

Foto: Reprodução/Juventus

ZAGUEIROS

Edu Dracena (30 anos): O capitão do Santos, e ao lado de Durval, o “xerife” da zaga, era quem passava calma ao restante da equipe. Participou de 13 jogos e marcou 1 gol, sendo o gol que praticamente colocou o Santos na grande decisão, na semifinal contra o Cerro Porteño no Pacaembu. Atualmente está com 40 anos e é assessor técnico do Palmeiras. Deixou o Santos em 2015 e passou por Corinthians e Palmeiras, onde pendurou as chuteiras.

Foto: Reprodução/Agência Palmeiras

Durval (30 anos): O “xerife” da zaga santista era considerado por muitos um cara sério, mas muito focado em sua missão com o clube. Assim como Dracena, foi peça chave no sistema defensivo do Santos, mesmo com o gol contra marcado na final. Participou de todos os jogos, mas não marcou gols. Atualmente, aos 40 anos, está aposentado. Deixou o Santos em 2013, para retornar ao Sport, onde ficou até 2018 e pendurou as chuteiras como ídolo.

Foto: Reprodução/Santos

Bruno Aguiar (25 anos): Apesar de não ter sido titular em nenhum jogo, Bruno Aguiar era quem substituía Edu Dracena ou Durval em momentos críticos, ou até mesmo quando o Peixe tinha que proteger mais sua defesa. Fez apenas 2 jogos e não marcou gols. Atualmente possui 35 anos e atua pelo Grêmio Novorizontino, após rodar por Sport, São Caetano, Joinville, Muaither, do Catar, Goiás e Brasil de Pelotas.

Foto: Reprodução/Novorizontino

Bruno Rodrigo (26 anos): Fez sua estreia apenas no primeiro jogo da final, contra o Peñarol, no Uruguai, substituindo Edu Dracena, que havia sido expulso no jogo anterior, e não marcou gols. Atualmente possui 36 anos e está aposentado. Deixou o clube em 2013 para se juntar ao Cruzeiro, onde ficou até 2017, quando acertou com o Grêmio e encerrou a carreira após uma temporada no Rio Grande do Sul.

Foto: Reprodução/Cruzeiro Esporte Clube

VOLANTES

Adriano (24 anos): Não começou sendo titular, mas logo assumiu a vaga de Rodrigo Possebon e não saiu mais do time, sendo um dos pilares do meio de campo santista. Atuou em todos os jogos, mas não marcou gols. Atualmente está com 34 anos e está sem clube após rodar por Grêmio, Vitória, Avaí, Grêmio Novorizontino, Goiás, CRB, Santo André, Portuguesa, Imperatriz e Amazonas FC.

Foto: Reprodução/Santos FC

Arouca (24 anos): Mais um dos pilares do meio de campo do Peixe, Arouca foi muito importante na reta final da competição e saiu dele a assistência para Neymar marcar o primeiro gol da final. Participou de 10 jogos e não marcou nenhum gol. Deixou o Santos em 2015 após pedir a rescisão na justiça por atrasos salariais e se juntar ao Palmeiras. Nunca teve o mesmo sucesso dos tempos de Vila Belmiro e, após deixar o alviverde, passou por Atlético-MG e Vitória até chegar ao Figueirense, seu último clube.

Foto: Patrick Floriani/FFC

Rodrigo Possebon (22 anos): Apesar de jovem, o volante já tinha passagens por Braga (POR) e Manchester United (ING), onde fez parte do elenco campeão da Champions League de 2008. Começou a Libertadores como titular, mas logo perdeu a vaga para Adriano. Fez 5 jogos e não marcou nenhum gol. Nunca se firmou no Santos, deixou o clube ao fim de 2011 e rodou por clubes como Criciúma, Mirassol, Juventude e Náutico, além de passagens pelo futebol do Bahrein e Vietnã. Atualmente possui 32 anos e sua última experiência foi passagem como gerente de futebol da Ferroviária em 2020.

Foto: Divulgação/SFC

MEIAS

Ganso (21 anos): Um dos melhores jogadores de 2010, Ganso sofreu muito com as lesões e pouco conseguiu jogar, participando de alguns jogos da fase de grupos e mata-mata, retornando somente na final após um período no Departamento Médico. Participou de 7 jogos e marcou 1 gol. Deixou o alvinegro em 2012 para acertar com o rival São Paulo e, após 4 anos no tricolor, foi vendido ao Sevilla, da Espanha, que posteriormente o emprestou ao Amiens, da França. Voltou ao Brasil em 2019 para defender o Fluminense, mas possui seu nome ventilado para um retorno ao Santos a todo momento. Com 31 anos, nunca foi o Ganso que esperavam que fosse.

Foto: Reprodução/Gazeta Esportiva

Elano (30 anos): Assim como Léo, também foi bicampeão brasileiro com o Santos e buscava seu primeiro título da Libertadores. O mais experiente do meio de campo, era quem passava tranquilidade e ditava o ritmo do ataque, junto com Ganso. Participou de 12 jogos e marcou 4 gols. Deixou o clube em 2012, para ir para o Grêmio. Passou pelo Flamengo e pelo Chennayin, da Índia, e teve mais duas passagens pelo Peixe antes de se aposentar em 2016. Atualmente está com 40 anos e é técnico da Ferroviária, já comandou também Inter de Limeira e Figueirense.

Foto: Reprodução/AFE TV

Alan Patrick (20 anos): Só estreou na Libertadores na fase de mata-mata, mas conseguiu deixar sua marca na campanha do Tri. Participou de 4 jogos e marcou 1 gol. Atualmente está com 30 anos e atua pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia desde 2011, com passagens por empréstimo para Internacional, Palmeiras e Flamengo.

Foto: Reprodução/Lance!

Felipe Anderson (18 anos): Ainda considerado uma promessa não lapidada, mas com um grande futuro pela frente, Felipe pouco jogou, mas foi o suficiente para marcar seu nome na história da Libertadores. Participou de apenas um jogo na campanha. Deixou o Santos em 2013 para se juntar à Lazio, da Itália, onde se destacou e foi vendido para o West Ham, da Inglaterra. Hoje, aos 28 anos, defende as cores do Porto, de Portugal, emprestado pelos Hammers.

Foto: Reprodução/Uol

ATACANTES

Zé Eduardo (23 anos): O homem área do Santos, mas que ficou conhecido por perder muitos gols (e diversas chances na final), mas que, apesar disso, fez boa parceria de ataque com Neymar, dando assistências para o craque. Atuou em 12 jogos e marcou apenas 1 gol, na semifinal contra o Cerro Porteño, no Paraguai. Deixou o Peixe em  2011 para se juntar ao Gênoa, da Itália. Desde então, passou por diversos clubes conhecidos do Brasil, com Coritiba, Goiás, Vitória e Figueirense. Atualmente está com 33 anos e atua pelo Brasiliense.

Foto: Reprodução/Metrópoles

Maikon Leite (22 anos): Era o reserva imediato do ataque e sempre entrava para suprir a ausência de Neymar ou Zé Eduardo. Participou de 6 jogos e marcou 1 gol. Deixou ao Santos ainda em 2011 para se juntar ao Palmeiras, com o qual teve vínculo até 2016. Passou por clubes conhecidos do futebol brasileiro, como Náutico, Sport, Bahia, Ceará e Figueirense, além de passagens pelo México e Emirados Árabes. Atualmente está com 32 anos e atua pelo Atlético de Luanda, da Angola.

Foto: Marcos Dantas

Keirrison (22 anos): O segundo reserva, Keirrison não teve tanto brilho como seus concorrentes. Atuou em 4 jogos e não marcou gols. Deixou o Santos ainda em 2011 e passou por Cruzeiro, Coritiba, Londrina e Arouca, de Portugal. Atualmente possui 32 anos e está sem clube desde 2018.

Foto: Lancepress

Diogo (24 anos): Diogo também não teve tanto brilho e jogou apenas na fase de grupos da competição. Participou de 3 jogos e não marcou gols. Após deixar o Santos, em 2011, passou por Portuguesa e Palmeiras antes de, em 2015, rumar para a Tailândia, onde está no seu terceiro time. Atualmente possui 34 anos e atua pelo BG Pathum United, da Tailândia.

Foto: Divulgação/Buriram United

Neymar (19 anos): A estrela do time e o melhor jogador do Santos na conquista do tri da Libertadores, fez um campeonato memorável, foi coroado com o título da competição e escolhido como “Rei da América”, nomeação dada ao melhor jogador da América do Sul. Atuou em 12 jogos e marcou 6 gols. Deixou o Santos em 2013 para se juntar ao Barcelona, onde se sagrou campeão da UEFA Champions League. Em 2017, se juntou ao Paris Saint Germain e é, aos 29 anos, um dos principais jogadores do futebol mundial.

Foto: Reprodução/Agência Brasil

Estagiário no Meu Peixão e futuro Jornalista.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Vale a Pena Ver de Novo