Conecte-se

Futebol

Diniz fala em cuidado com Sánchez e se revela ansioso por volta do camisa 7 ao onze inicial

O empate por 2 a 2 contra o Grêmio, no dia 24 de junho, marcou o retorno de Carlos Sánchez aos gramados após quase nove meses fora por uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo na partida contra o Olimpia, do Paraguai, em 1 de outubro de 2020, pela Libertadores.

Desde o retorno, Sánchez atuou em boa parte do segundo tempo da vitória por 2 a 0 contra o Atlético-MG e quase toda a etapa final dempate em 0 a 0 contra o Sport, na última quarta-feira (30/06).

Tecnicamente diferenciado, o jogador gera expectativa à torcida por um retorno ao time titular. E o técnico Fernando Diniz também está ansioso por este momento, como disse na entrevista coletiva após o empate contra os pernambucanos.

O Sánchez vem evoluindo, hoje jogou de novo 35, 40 minutos. A gente está dando condição de jogo para ele. O torcedor tem a vontade e eu também compartilho desse sentimento (de vê-lo entre os titulares), mas a gente tem que tomar o cuidado necessário para colocar na hora certa e eu converso muito com ele sobre isso. Levamos da forma mais criteriosa possível.“, disse.

Antes de sua lesão, o uruguaio era o capitão da equipe e sua presença nos bastidores do Santos é de um líder extremamente respeitado por todos.

Desde que chegou ao Santos, em 2018, Carlos Sánchez já disputou 107 jogos e marcou 25 gols, que o credenciam ao posto de segundo maior artilheiro estrangeiro da história do clube. O primeiro é o atacante colombiano Jonathan Copete, que acaba de deixar o Peixe, com 26 gols.

O Santos volta a campo no (03/07), às 19h, para enfrentar o América-MG, na Arena Independência, em confronto válido pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro.

21 anos, estudante de Jornalismo na UNISANTA. Apaixonado pelo jornalismo, fanático por futebol.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Futebol