Conecte-se

Mantos Históricos

Década de 40: Novo escudo, novos uniformes e um ídolo eterno

Após o primeiro título estadual em 1935 a expectativa para o seguinte era enorme, porém os anos 40 guardavam ao SANTOS FC uma grande seca de títulos. Em toda a década as campanhas com maior destaque foram um 4º lugar em 1946 e o vice campeonato em 1948 onde ficamos 2 pontos atrás do São Paulo.

No DVD lançado para comemorar o centenário do clube em 2012, o escritor José Roberto Torero fazendo uma comparação entre os períodos históricos do SANTOS FC e da humanidade, coloca a década de 40 como sendo a idade média do SANTOS FC, a idade das trevas, com seca de títulos e resultados pouco expressivos. Mesmo com a falta de títulos, houveram marcos, como a criação do novo escudo, mais precisamente em 1942 e também um novo uniforme com listras horizontais.

Site oficial do clube https://www.santosfc.com.br/wp-content/uploads/2017/08/Escudo-anos-40229×220.png

Site Oficial do clube https://www.santosfc.com.br/wp-content/uploads/2018/06/1943-2.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esse uniforme de 1942 fez parte da coleção retrô que o SANTOS FC lançou em parceria com a umbro, onde resgatou a imagem do uniforme com listras horizontais e também usou o escudo da época para melhor caracterizar o modelo.

Acervo de Pedro Henrique Fonseca

                                           

Em 1946 o SANTOS FC inova novamente e pela segunda vez em sua história faz um uniforme todo preto, seguindo o padrão de 1939 com camisa preta, shorts branco e meias pretas. Esse uniforme de 1946 já contém o escudo como conhecemos hoje, o anterior de 1942 não teve tanta aceitação e foi utilizado apenas até 1944, depois disso, retornaram ao escudo atual.

Site Oficial do clube https://www.santosfc.com.br/wp-content/uploads/2018/06/1946-Campe%C3%A3o-do-Torneio-%C3%8Dnicio.jpg

Mais uma vez citada aqui, a coleção retrô que o SANTOS FC em 2012 homenageando marcos históricos do clube teve uma falha. Nesta coleção o modelo de 1946, foi comercializado como sendo de 1928.

Acervo pessoal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como nos outros modelos, este também tem o marco histórico na parte de dentro da camisa e consta que o modelo foi usado no título do torneio início de 1928. O título é verdade, empatamos com o Palestra Itália em 1-1 e vencemos pelo número de escanteios que era o critério de desempate da época (3-2), logo depois vencemos o Corinthians por 3-2 e o Guarani por 2-0, neste torneio o SANTOS FC formou com Athié; Amorim e Bilu; Hugo, Júlio e Alfredo; Omar, Camarão, Araken, Wolff e Siriri (escalação retirada do site oficial do clube), mas houve esse equívoco no modelo usado.

Mas por que houve esse equívoco? Reza a lenda que quando buscaram imagens da equipe com esse uniforme para realizar a confecção, em uma das fotos que os responsáveis encontraram estava presente na foto e vestido com o uniforme o Araken Patusca, ídolo do clube da década de 20, membro do ataque dos 100 gols e campeão do torneio início de 1928. O que os responsáveis não contavam é que aquilo foi uma “jogada de marketing” do SANTOS  nos anos 40 para apenas apresentar o uniforme, ou algo do  tipo, até porque, pelo que encontramos na história, Araken parou de jogar em meados dos anos 30. Erros ou equívocos a parte, essa é uma das lendas da história do Santos, e como toda lenda, não sabemos até onde é real ou mito. O fato é que o clube confeccionou o modelo retrô e foi sucesso de vendas independente a divergência entre as datas. Mas lembre-se o modelo é de 1946 e não de 1928.

Pra encerrar, apesar dos anos 40 não terem trazidos grandes títulos ao clube, gostaria de fazer uma menção honrosa a um dos jogadores que atuaram nesta década e é um dos maiores ídolos do SANTOS FC. Sr. Antoninho Fernandes, apelidado de “O Arquiteto da Bola” participou de 400 jogos pelo clube entre 1941 e 1954, marcando 145 gols. Antoninho também foi técnico do clube em 1967, substituindo ninguém menos que Lula, e foi tri campeão paulista, ganhou o torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968 e também a Recopa dos Campeões Intercontinentais de 1968, além de vários outros torneios. Foi técnico do Santos até 1971, quando foi substituído pelo também ex jogador Mauro Ramos de Oliveira.

O portal Meu Peixão agradece ao Arquiteto da Bola, Sr. Antoninho Fernandes por tudo o que fez pelo nosso glorioso SANTOS FC e também a ASSOPHIS pela cessão das imagens abaixo para esta justa homenagem.

                 

Meu nome é Welton Franco, sou natural de Araraquara-SP, formado em Educação Física, trabalho como gestor e técnico de um projeto de voleibol. Santista desde os 5 anos por influência de meu primo, coleciono camisas do Santos FC desde 2013 e pretendo não apenas mostrar a coleção, como também parte da história do clube ligado a cada modelo.

2 Comentários

2 Comentários

  1. Leonardo

    27 de fevereiro de 2021 às 14:47

    Sensacional. Esse escudo veio à tona agora quando da impossibilidade por não ser o oficial na camiseta azul .
    Histórias lindas do histórias mais linda do futebol brasileiro !!!

  2. FERNANDA CHAVES SILVA

    27 de fevereiro de 2021 às 11:12

    Que matéria sensacional! Parabéns, eu particularmente gosto muito de matérias que tratam do nosso passado. Show!

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Mantos Históricos

%d blogueiros gostam disto: