Conecte-se

Futebol

Sucessor de Giovanni e Ganso? Conheça o meia paraense que PROMETE no Santos

Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

 

O Santos é conhecido por ser o clube que em toda sua história mais utiliza sua base, e essa valorização sempre traz vários frutos, os chamados “Raios”. No momento o clube carece de um meia, e essa peça pode ser um Menino da Vila: Kevin Malthus.

Aos 10 anos, quando chegou na Baixada Santista por conta do trabalho do pai, Kevin entrou na escolinha Meninos da Vila (campo), e na de futsal do Santos, onde foi observado e convidado para a equipe da base.

Kevin tem 18 anos, joga como meia e nasceu em Belém (PA), assim como dois camisas 10 que passaram pelo Peixe e são sua inspiração: Giovanni e Ganso.

“São dois ídolos para mim, pela facilidade de jogarem bola, pela história que fizeram no Santos e no futebol, por termos a mesma identidade e até então estarmos seguindo o mesmo caminho. Acredito que as características que me inspiro e busco trazer para o meu futebol seja a visão de jogo, saber aquilo que vai fazer antes da bola chegar no pé, jogo rápido de um ou dois toques, deixar os companheiros na cara do gol e com certeza marcar gol, frieza dentro campo e a liderança técnica”, confessou.

Além de suas inspirações de atletas que passaram pelo Alvinegro, o meia também se inspira em jogadores que se destacam no futebol mundial em sua posição.

“Tenho como inspiração Kevin De Bruyne, Thiago Alcantara e Bruno Fernandes, que são jogadores inteligentemente técnicos dentro de campo, e uma qualidade absurda”, disse o meia.

Aos 17 anos, Kevin subiu para a equipe sub-23 do Peixe, assumiu a titularidade, e contou como foi esse desafio de jogar em uma categoria acima.

“É uma grande oportunidade e responsabilidade, isso mostra que meu trabalho está sendo reconhecido, estando no sub-23 e ainda por cima ser titular da categoria com idade inferior. É um amadurecimento a mais, estar jogando em categorias acima, irás ter que treinar mais, se dispor mais para alcançar aqueles que já estão lá. Levo como experiência e tenho para mim como uma “dificuldade” boa, para me tornar um jogador melhor e agradeço a comissão pela oportunidade”, falou o meia.

Na base ele teve momentos marcantes, e inclusive já assumiu a braçadeira de capitão.

“A final do Paulista sub-13 entre Santos e Palmeiras foi muito marcante para mim, porque foi a primeira vez que tive a oportunidade de jogar na Vila Belmiro, a Vila mais conhecida do mundo, e foi surreal. Eu tinha 13 anos e fiquei muito feliz, sem acreditar no que estava acontecendo pois era capitão da categoria”, revelou Kevin.

Como disse anteriormente, o Santos necessita de um meia ideal no profissional, e por seu estilo de jogo Kevin poderia ser essa peça.

“O que estou fazendo é jogar meu futebol da maneira que me fez se destacar nas categorias de base, para poder ter uma oportunidade no profissional em breve”. – finalizou o jogador das categorias de base do Peixe.

 

Estudante de jornalismo na Universidade Santa Cecília. Nascida no interior mas caiçara de coração, se mudou para viver seu amor pelo Santos de perto.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Futebol