Conecte-se

Bastidores

Os benefícios de um sistema de gestão da qualidade

Imagem: IBSP

Olá, meu amigo santista! Após a minha primeira Matéria, recebi alguns inputs valiosos que procurarei trazer para este artigo. Escrevi sobre a importância de ter um sistema de gestão no clube, estamos acompanhando a nova administração e conseguimos perceber claramente a preocupação em alocar recursos profissionais nos lugares certos.

Acho o movimento muito importante, porém se não existir objetivos e metas traçadas, qualquer movimento se perderá ao longo do tempo. Profissionais precisam saber o seu propósito, não somente o porque ele foi contratado, mas qual é o objetivo e meta que ele tem que alcançar, e sim, isto serve para qualquer atividade dentro do clube.

Um bom sistema de gestão sempre será atrelado ao planejamento estratégico do clube, planejamento este que permitirá sabermos o que seremos daqui há alguns anos, através dele podemos determinar objetivos por áreas e interligar tudo e todos ao resultado final, por isto a importância de antes da contratação definirmos o cargo, seu conhecimento, sua competência e as suas métricas (que estarão atreladas aos objetivos determinados pelo planejamento estratégico), sem isto não temos de forma objetiva como atestar se o profissional é bom no que faz, tudo passa a ser especulativo. Claro que muitos falarão que existe uma metodologia ultra mega atual de avaliação de colaboradores, mas nenhuma avaliação será suficiente sem enxergar o atingimento das suas metas, eu sou adepto da política da meritocracia, ter rendimentos variáveis atrelados à sua performance, acho que está mais do que na hora do clube ter isto para todas as áreas.

O porque escrevo tudo isto, porque é muito importante percebermos a importância dos gestores no processo e de ter um bom sistema de gestão apoiando a todos, sem alinhamento e objetivos traçados e determinados a estrutura agoniza, hoje podemos dizer que o Santos Futebol Clube carece de um sistema de gestão, não só para contratar certo, mas para organizar todos os processos do clube, da Secretaria Social e até do futebol profissional, todas as áreas tem que ter parâmetros, objetivos e métricas objetivas, com isto podemos mostrar aos associados a evolução da gestão esportiva, administrativa e operacional, dando a credibilidade necessária para buscarmos o crescimento orgânico robusto.

Muitos me questionam: “isto é besteira Iliucha, o torcedor não quer saber de processo, procedimento, objetivos e metas, o torcedor quer título”. Costumo responder que uma boa empresa não existe se não tiver um objetivo traçado e determinado, um clube não ganha campeonato se não cuidar da sua estrutura, credibilidade não se conquista se não honrar com suas obrigações.

O primeiro passo para a busca de uma boa governança corporativa transparente é a organização dos processos, uma política de compliance no clube não funciona se não estiver claro aos envolvidos todas as regras que competem ao exercício da sua atividade, a busca pela excelência depende do apoio de todos, grandes organizações estão apoiadas em sistemas de gestão da qualidade, com regras de compliance e política de antissuborno definidas e divulgadas, com tudo isto pode-se claramente perceber o processo evolutivo através de indicadores que poderão ser acompanhados por todas as partes interessadas.

Em meu próximo artigo, trarei os passos para implantar uma política de compliance, espero seus comentários, críticas e sugestões, este espaço é para nós, que de alguma forma quer ajudar nosso amado Santos Futebol Clube.

CEO na DSGQ Thinking Business, já fui Ouvidor e Conselheiro do Santos e atualmente colaborando com o Portal Meu Peixão.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Bastidores