Conecte-se

Colunas

Números: Dívidas e mais dívidas do Santos

Foto: divulgação

Amigos santistas, saudações!

Presidente Rueda deu entrevista no início de noite desta terça-feira (02), na Rádio Bandeirantes, falando sobre as contas atualizadas do clube. Aliás, haja dívidas no clube a curto prazo neste ano de 2021.

De acordo com Rueda, as dívidas a curto prazo são, aproximadamente, de 150 a 180 milhões. O balanço do ano de 2020 saíra neste mês (março) – precisamos aguardar para ver os números exatos.

Não vou me aprofundar mais nos números sem ver o balanço e analisar friamente os números. Nossa dívida total beira os 700 milhões (de acordo com o que foi dito pelo presidente).

O clube, além de diminuir a folha mensal que hoje está em torno de 8 milhões sem encargos e 12 milhões com encargos, precisa diminuir drasticamente esses valores para o patamar de 5 a 6 milhões de reais por mês! 

O que fazer? 

Vender jogadores que não estão nos planos do novo treinador e do clube – o que não é fácil, pois qual clube irá querer arcar com os salários destes jogadores parados? Jogadores que precisariam estar jogando para valorizar e mostrar a outros clubes para serem negociados… o que não vai ocorrer.

O buraco é mais embaixo, e vai ser difícil isso ocorrer ou o clube entrar em acordo para o não pagamento da indenização em caso de uma rescisão. O clube não tem dinheiro para isso! Emprestar a outros clubes NÃO pagando parte dos salários também é muito difícil. 

O Santos está em uma “sinuca de bico”, infelizmente! Em breve estará vencendo os contratos dos jogadores Sánchez e Copete, e espero que o clube não renove, pois irá ajudar muito neste planejamento financeiro de reestruturação das contas. Enquanto isso… os Meninos da Vila vão ganhando minutagem no Campeonato Paulista para serem a salvação do clube no futuro. 

Seguimos! e torcendo para que o trabalho do treinador de certo e nos ajude muito.

Abraços e até a próxima!

Conselheiro eleito do Santos para o Triênio 2021 a 2023 , Bacharel em Direito e sócio do Escritório Contábil Mello.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Ubirajara Cortez

    5 de março de 2021 às 12:59

    Concordo 100% que devemos seguir a política “pés no chão”, se não der para vender, tentar rescindir o contrato com jogadores que não serão aproveitados e principalmente IR ATÉ O FIM NA INVESTIGAÇÃO DAS GESTÕES TEMERÁRIAS DOS ÚLTIMOS TRÊS PRESIDENTES, eles são os únicos responsáveis do caos financeiro que deixaram nosso PEIXÃO.

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Colunas

%d blogueiros gostam disto: