Conecte-se

Futebol

Mães Santistas #2 – “Ser mãe nos faz profissionais mais fortes e resilientes”, diz RP do Santos

Crédito: Arquivo Pessoal

Desde 1932, todo o segundo domingo de maio é considerado como ‘dia das mães’ em todo o Brasil. Este ano a celebração será no dia 9, mas o Meu Peixão homenageará por todo o mês as mulheres que sabem a sensação do mais puro amor.

Não tem como falar sobre a maternidade de Isabel Luchesi, Relações Públicas do Santos, sem antes citar a sua identificação com o time do coração. Torcedora declarada, ela tem grande parte da sua vida entrelaçada com a história do alvinegro praiano.

Em muitos casos é comum o filho herdar o time do pai, pois muitas mulheres não eram incentivadas a acompanhar futebol. Essa realidade tem mudado a cada dia, e Isabel sabe bem disso.

“Nasci em uma família de mulheres santistas e uma mãe fanática pelo Santos, que desde que me conheço por gente, pausa a vida quando o time está em campo. Minhas tias avós tinham cadeira cativa na Vila Belmiro e eram fanáticas. Desde muito nova quando eu morava em Indaiatuba, vinha com a minha mãe assistir aos jogos na Vila. Também ia a partidas do Santos como visitante no interior e no do Pacaembu. Meus irmãos entravam em campo com os jogadores e eu chorava muito porque naquela época, mulher não podia entrar como mascote”, lembra.

Há dois anos e três meses Isabel passou a compartilhar toda sua vida dedicada ao clube com a maternidade. Quem acompanha a RP em suas redes sociais, observa como seu filho Gabriel é inserido ao universo Santos Futebol Clube desde o seu nascimento.

“É o amor da minha vida, minha motivação diária. Ele é extremamente carinhoso e amoroso. Amo ser mãe, sempre gostei muito de criança. Aprendi a amar sem esperar nada em troca, a ter paciência, resiliência, ele traz uma leveza indescritível para minha vida”, diz ela, ao lembrar do momento mais emocionante, onde Gabriel entrou em campo com as Sereias, no colo da zagueira Tayla.

Assim como muitas mulheres, Isabel possui múltipla jornada diária. Pós-graduanda em Gestão Estratégica de Comunicação Organizacional e RP pela USP, ela concilia trabalho, afazeres domésticos com maternidade e estudos.

O amor pelo Peixe a inspirou a conquistar outro objetivo: virar funcionária de um dos maiores clubes do mundo. Ela recorda que desde pequena falava em trabalhar no Santos.

Com o crachá de colaboradora desde 2015, quando começou nas escolas Meninos da Vila, no departamento de Marketing e promovida em 2016 à RP, sua área de formação, hoje ela é coordenadora de Relações Públicas do clube e garante que nunca teve problemas em dividir as atenções do trabalho com maternidade.

“O Santos me deu total respaldo e apoio. Me sinto extremamente acolhida como mãe lá, nas poucas vezes em que precisei, em casos de a escola ligar porque meu filho estava com febre, foram extremamente compreensivos comigo. Acho que as empresas precisam entender de uma vez por todas que o fato de a mulher ser mãe não faz dela menos profissional, sou a prova viva de que é possível conciliar as duas coisas, com dedicação máxima em ambas. Ser mãe nos faz profissionais mais fortes e resilientes”, declara a profissional, que também atua nas transmissões da Santos TV.

Amar a maternidade, profissão e o time do coração é um misto de sentimentos para muitas mães e Isabel procura trabalhar o psicológico, para conseguir ficar perto de todas as suas paixões.

“Na minha licença maternidade eu sofri muito no início por ficar longe do clube. Eu via as meninas colocando as crianças em campo no meu lugar e chorava. Sou extremamente apegada ao trabalho, mas quando tive que colocar ele na escola para  voltar a trabalhar, e olhava aquele belezinha de quatro meses, eu chorava na mesma proporção. Mesmo trabalhando muito, quando estou com ele tento me dedicar 100% e criar várias atividades. Ao me ver chegar em casa, ele vem correndo e pula no meu colo”, fala Isabel, que também é apaixonada por música e grande fã de reggae e do Bob Marley.

No trabalho Isabel já viveu momentos inesquecíveis, como o dia em que conheceu o Pelé, a reaproximação de Giovanni com o Santos, várias ações com ídolos e Sereias, 100 anos da Vila Belmiro, festa de premiação do Paulistão, além do desafio dos protocolos da final da Libertadores deste ano de pandemia.

“Minha função é construir e coordenar vínculos com alguns dos públicos ligados ao Santos. Entre as atividades que desempenho, estão relacionamento com atletas e ex-atletas, gestão dos ídolos, contato com os influenciadores santistas e autoridades, organização de eventos institucionais, além do protocolo de campo, em jogos com mando do Santos, onde coordeno as ações que acontecem no gramado, desde a entrada de crianças em tempos sem pandemia, até homenagens como minuto de silêncio”, explica Isabel ao recordar que o momento mais difícil foi no início da carreira, quando precisou deixar a cidade de Indaiatuba e partir para o desconhecido.

Ela observa que o diferencial do Santos é o engajamento dos atletas e torcedores nas campanhas de responsabilidade social, por ser um dos clubes que mais realiza ações, como o “Muito além do Futebol”, que faz parte da cultura organizacional, onde os torcedores se identificam bastante.

Segundo Isabel, muitas ações surgem graças ao empenho dos torcedores que marcam nas publicações quando vêem alguma história. Os próprios jogadores também enviam conteúdos que encontram nas redes, ou então criam campanhas, como a que o Marinho lançou recentemente do desafio de cestas básicas. Conforme ela explica, para o clube é fundamental procurar envolver o time principal, base e as Sereias em todas as ações.

Orgulhosa por poder atuar em linha de frente das principais atividades sociais, a RP que já se tornou referência no meio esportivo, deixa o seu recado para o dia das mães.

“Que elas passem o amor delas pelo Santos como minha mãe fez comigo, como eu faço com o meu filho e que elas nunca desistam de acreditar nos seus sonhos, porque também sou a prova viva de que quando a gente tem um sonho basta acreditar e correr atrás pra realizar”, concluiu.

Jornalista graduada pela Universidade Metodista. Atualmente a única repórter de campo no ABC Paulista. Coleciona transmissões pela FPFTV, CBFTV e Santos TV.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Futebol