Conecte-se

Futebol

Eterno Menino da Vila, Juary completa 62 anos

Neste 16 de junho de 2021, o eterno Menino da Vila, Juary completa 62 anos. Carioca, nascido em São João do Meriti, Juary Jorge dos Santos Filho foi revelado pelo Pavunense Futebol Clube, time do bairro de Pavuna no Rio de Janeiro.

Em 1976, com 16 anos, chegou ao Santos para um período de testes na equipe juvenil por indicação do ponta-direita Babá, com quem atuou no Pavunense.

Meu pai me trouxe e me deixou em frente à Vila Belmiro. Disse que ia na esquina comprar cigarro e fiquei esperando. Depois de muito tempo alguém passou, perguntou o que eu estava fazendo ali e disse que meu pai não voltaria mais e eu moraria no alojamento do Santos.”, contou.

Chegando ao Peixe em uma das piores crises técnicas da história do clube, estreou pelo time principal em 27 de maio de 1976, em amistoso contra o Volta Redonda, vencido pela equipe carioca por 3 a 0. Juary entrou no decorrer da partida, com Alfredo Sampaio o lançando como ponta-direita.

Em 1977, sob o comando de Otto Glória, passou a jogar como centroavante e ganhando a condição de titular.

Com Chico Formiga, em 1979, se destacou pela velocidade e foi um dos destaques da equipe que conquistou o 14º Campeonato Paulista da história alvinegra (que era referente ao ano de 1978), do qual Juary, que formou ataque com o Nilton Batata pela direita e João Paulo pela esquerda, foi artilheiro com 29 gols.

Em 1980, foi vendido para o Chivas Guadalajara, do México, por 13 milhões de cruzeiros. Rodou pela Itália, onde defendeu Avellino, Inter de Milão, Ascoli e Cremonese, antes de chegar ao Porto, de Portugal, onde se tornou ídolo após atuações decisivas nos títulos da UEFA Champions League e do Mundial de Clubes, em 1987.

Retornou ao Brasil para jogar pela Portuguesa de Desportos, mas em 1989 retornou ao Santos, sem o mesmo brilho da primeira passagem. Encerrou a carreira no mesmo ano, pelo maranhense Moto Club.

Ao todo, Juary disputou 229 partidas pelo Santos, com 101 gols marcados, que o credenciam como o quinto maior artilheiro da história do clube na era pós-Pelé, atrás apenas de Neymar, Robinho, Serginho Chulapa e João Paulo.

Meu Peixão parabeniza Juary pela brilhante carreira, gols e o título paulista de 1978 conquistado com a camisa do Santos.

 

21 anos, estudante de Jornalismo na UNISANTA. Apaixonado pelo jornalismo, fanático por futebol.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Futebol