Conecte-se

Futebol

Kaiky fala de responsabilidade em substituir Veríssimo e agora Luan Peres e exalta Fernando Diniz

Fenômeno: esta é a palavra mais usada por Fernando Diniz para classificar o jovem zagueiro Kaiky. Com apenas 17 anos, Kaiky teve uma ascensão meteórica no Santos sendo promovido ao time profissional em fevereiro deste ano, e, posteriormente, assumindo a titularidade rapidamente, substituindo Lucas Veríssimo, vendido para o Benfica.

Depois, voltou ao banco de reservas sob o comando de Fernando Diniz para dar vaga à Luiz Felipe, mas com a iminente saída de Luan Peres, que desfalcou o Santos nas últimas duas partidas (contra América-MG e Athletico-PR), Kaiky retornou ao time titular.

O jovem é o substituto natural de Luan, que deve rumar para o Olympique de Marseille, da França a pedido do técnico argentino Jorge Sampaoli, com quem trabalhou no Santos, em 2019, e hoje comanda a equipe francesa na beira dos gramados. O treinador também levou Gerson, do Flamengo, para trabalhar com ele em Marseille.

O Menino da Vila se vê pronto e espera aproveitar a nova chance.

Substituir o Veríssimo no começo da temporada e agora o Luan é uma responsabilidade muito grande, mas é boa ao mesmo tempo. São dois profissionais que eu admiro demais, tanto dentro como fora de campo. E estar no Santos FC é isso, ter novos desafios a cada dia. Agora estou buscando abraçar a oportunidade para ter um melhor rendimento. Mas temos grandes zagueiros no elenco, Luizão, Danilo, Robson e Alex. Qualquer um que entrar vai dar conta do recado.”, afirmou.

Com o jovem zagueiro à disposição, o Santos visita o Palmeiras no próximo sábado (10), às 16h30, no Allianz Parque, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro e terá o retorno de Fernando Diniz para o clássico, após cumprir suspensão diante do Athletico-PR. Contando novamente com o técnico na beira do gramado, Kaiky agradeceu a confiança e rasgou elogios ao comandante.

Admiro demais o Diniz como treinador e como pessoa. É um cara sensacional. Mesmo quando eu fui para o banco, todo dia após o treino o professor sempre vinha conversar comigo, me dar dicas sobre como eu devo me comportar na posição, etc. Sou muito grato pelo carinho e confiança que ele me deu. A gente entende que ele cobra bastante dentro de campo porque quer tirar o melhor de nós, quer sempre colocar na nossa cabeça que todos nós somos muito bons. Acredito que temos tudo para ser felizes e ter uma boa temporada com ele aqui.”, concluiu.

Desde que subiu ao profissional, o jovem, dono da camisa 28, atuou em 20 partidas e marcou um gol.

21 anos, estudante de Jornalismo na UNISANTA. Apaixonado pelo jornalismo, fanático por futebol.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Futebol