Conecte-se

Colunas

OPINIÃO – Mulheres foram desrespeitadas o ano inteiro, onde vocês estavam?

A polêmica que precedeu o jogo dessa semana, foi o pacote de alterações no programa do Sócio Rei para mulheres enviado do Comitê Gestor ao Conselho Deliberativo, entre as alterações de categorias, valores e etc., a que chamou mais a atenção foi a retirada do desconto aplicado as sócias mulheres.

Um dos argumentos ridículos ditos, é a questão de fraude. Não seria melhor voltar as carteirinhas femininas terem a listra rosa e aumentar a fiscalização na entrada?

Eu como mulher irei ficar sempre do lado delas, no que é justo. Por isso eu fiz um levantamento com a ajuda de páginas e pessoas que acompanham as Sereias da Vila, como: Informe Santista e Noticias Sereias da Vila.

Eles que possuem conhecimento da modalidade, passaram ao Meu Peixão com exclusividade, alguns problemas que vem ocorrendo ao longo do ano com a modalidade feminina.

  • Condições do Centro de Treinamento das Sereias; Elas treinam praticamente em um”pasto”, o estado do gramado é bem ruim, prejudica muito o trabalho das jogadoras e da técnica.
  • Algumas vezes as Sereias treinaram com o uniforme da antiga fornecedora Kappa. Sem contar quando fizeram jogos com camisas do ano passado e retrasado, no detalhe, a maioria no estilo masculino.
  • Sereias jogam no CT Rei Pelé invés de jogar na nossa casa, a Vila Belmiro; Num comparativo o nosso Sub-23 jogou alguns jogos da Copa Paulista na Vila Belmiro, e o nosso time profissional feminino tiveram que jogar alguns jogos classificatórios no CT.
  • Jogos ainda sem público; Desde a volta com a torcida no dia 10 de outubro, as Sereias ainda não jogaram com o público dentro dos estádios.
  • Igualdade de tratamento as atletas; Por exemplo o Sandry realizou a mesma cirurgia no mesmo dia de Tayla e tiveram tratamentos diferentes na recuperação.
  • Maior derrota na história das Sereias para o SPFC; Não houve requerimento do Conselho para que o Amauri desse explicações sobre o ocorrido.
  • Planejamento para o próximo ano; O Santos demora a ir no mercado e acaba ficando com as atletas que outros clubes não fecharam. Sem contar os contratos de atletas importantes que se encerram em 31 de dezembro, e que até agora não foi discutida uma renovação ou negociação que é o caso da Bruninha e Laura Valverde que são jogadoras de seleção, e que podem dar um retorno financeiro para a categoria, podem sair de graça ao final desse ano.
  • Analista de desempenho das Sereias não utiliza um bom material para desenvolver as meninas, que não é o caso com o masculino, por exemplo.
  • A montagem do elenco das Sereias esse ano foi muito mal pensado, o time só tinha 2 zagueiras, 2 laterais, ambas as técnicas tiveram que fazer improvisações, pois não tinha jogadoras suficientes no plantel.

Como cobrar algum título das Sereias se ao menos respaldos mínimos como esses não são levados em conta?

Vale lembrar alguns episódios lamentáveis quanto ao desrespeito as mulheres, como a torcedora que apanhou nas arquibancadas da Vila Belmiro e também o famoso caso Bruninho, onde a mãe não foi devidamente respaldada. Identificaram quem arremessou a baqueta, mas esses outros agressores não? No mínimo estranho.

Vamos também relembrar o caso da denúncia da ex-treinadora Cris Lessa, onde muitas mulheres desconfiaram, pois algumas jogadoras ligadas ao acusado se pronunciaram. Fica chato ficar contra quem ficou no clube, não é? Nessas horas não tem essa de que “não devemos duvidar da mulher nunca, até que se prove o contrário”.

Tudo isso e de forma bem resumida, foram desrespeitos as mulheres ao longo do ano.

Onde estavam todos vocês? A questão do Sócio Rei é algo que incomoda o seu bolso ou lhe dá curtidas no Twitter?

Mais do que parecer, as pessoas precisam ser e tudo isso aconteceu sem que nenhum torcedor, sócio e principalmente Conselheiros(as) fizessem algo.

Esse meu desabafo não é direcionado a nenhuma pessoa, é o meu entendimento sobre tudo e quem se sentir atingido, vista a carapuça e mude isso para 2022, as mulheres e a modalidade precisam do seu apoio e luta.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Peixão

21 anos, formada em letras, apaixonada e viciada pelo Santos Futebol Clube desde criança.

2 Comentários

2 Comentários

  1. Marcelo

    29 de novembro de 2021 às 12:22

    Querem igualdade com o futebol masculino? Qual o orçamento de um e do outro? Querem que joguem na Vila? Aí quando o profissional vai jogar, o gramado está daquele jeito. Basta reestruturar o CT e deixar em condições de jogo. Qual a visibilidade (TV, audiência, torcida) do futebol feminino? É quase nenhuma. Concordo em melhorar as condições, mas pedir igualdade nas modalidades é impossível. O principal foco do Santos FC deve ser o futebol profissional. Aliás, este é o motivo do clube existir.

  2. Carlos Alberto Valente

    29 de novembro de 2021 às 11:32

    Concordo em gênero número e grau com tudo que vc escreveu, vcs tem os mesmos direitos que os homens em tudo menos uma…o respeito a vcs devem ser maiores……abcs…

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Colunas

%d blogueiros gostam disto: