Conecte-se

Sem categoria

Por que o Léo Baptistão não consegue ter mais espaço no Santos?

Foto: Pedro Ernesto Guerra/Santos FC

Para muitos, Léo Baptistão foi a principal contratação do Santos em 2021. Ele chegou para suprir a saída de Kaio Jorge, que havia acabado de ser negociado com a Juventus, da Itália. Sua estreia foi contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, na última rodada do 1° turno do Brasileirão 2021. 

Ainda sob o comando de Fernando Diniz, Baptistão começou como titular, jogando de centroavante. Mesmo não sendo a posição onde ele mais se destacou durante a carreira na Europa, o então camisa 9 foi bem e parou na boa atuação do goleiro Walter. 

O jogo terminou 2×1 para o Cuiabá e Diniz acabou sendo demitido por conta de uma sequência de maus resultados, dando lugar a Fábio Carille. Com o novo técnico, o atacante não conseguiu repetir o bom desempenho da sua estreia e logo depois acabou sofrendo uma lesão na panturrilha. 

Enquanto estava lesionado, viu Carille testar algumas opções naquela que em teoria seria sua posição, mas quem se destacou mesmo foi o jovem Marcos Leonardo. O jogador de 18 anos acabou marcando 4 gols nos seus últimos 3 jogos do ano. 

Léo Baptistão voltou a ficar disponível para jogar contra o Flamengo, na penúltima rodada do Brasileiro, mas nem saiu do banco. Na rodada seguinte, e última do campeonato, com Marcos Leonardo suspenso, o atacante recebeu uma oportunidade como titular, contra o adversário da sua estreia, o Cuiabá, mas mais uma vez não foi bem, sendo substituído no segundo tempo. 

Visando um melhor ano em 2022, Baptistão se representou ao CT Rei Pelé antes de todo o elenco, porém acabou contraindo COVID-19 e teve que fazer os trabalhos de casa. Ainda deu tempo dele voltar para a pré-temporada e se destacar nos jogos-treinos realizados pela equipe, marcando três gols em dois jogos, contra São Caetano e Portuguesa Santista. 

Com a renovação contratual de Marcos Leonardo, Léo Baptistão cedeu a camisa 9 ao Menino da Vila e assumiu a camisa 92, em referência ao ano que nasceu, 1992. 

Por problemas físicos, ele ficou de fora da estreia do Santos pelo Paulistão, contra a Inter de Limeira. No jogo seguinte, contra o Botafogo-SP, na Vila Belmiro, entrou bem no segundo tempo e inclusive fez um gol, que acabou sendo anulado por impedimento. 

Na partida contra o Corinthians, na Neo Química Arena, mais uma vez Baptistão começou a partida no banco e só foi entrar no final do jogo, no lugar do estreante Ricardo Goulart, que pediu para ser substituído por cansaço. Mas mesmo com pouco tempo, conseguiu ir bem e ajudou o time a manter a vitória por 2×1. 

No último domingo, contra o Guarani, o camisa 92 ficou no banco de reservas, mas dessa vez não saiu de lá durante o jogo. O atacante viu o jovem Allan Victor, reserva do próprio Bugre em 2021, entrar em campo, jogando na posição em que ele mais se destacou na carreira, pelos lados do campo. 

Na noite da última quinta-feira, contra o São Bernardo, novamente assistiu os 90 minutos da partida de fora. Mesmo com o time empatando em casa e precisando da vitória, Carille optou por outros jogadores, o que não deu certo, já que o jogo terminou em 1×1.

Santista de coração, Léo Baptistão claramente não caiu nas graças de Fábio Carille, mesmo com os relatos de que vem se destacando nos treinos, e busca de alguma forma convencer o técnico de que merece mais oportunidades. Ele chegou a 14 jogos oficiais, sem marcar gols ou dar assistências.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Sem categoria