Conecte-se

Colunas

Um problema, mas algumas soluções no Santos

Sandry só deverá retornar na próxima temporada (foto: Ivan Storti)

No último sábado, o torcedor do Santos recebeu a notícia que o volante Sandry havia rompido o ligamento cruzado do joelho direito em um dos treinos, em Atibaia. Com isso, a maior dúvida tanto da torcida quanto da comissão técnica é de como será a escalação para os próximos jogos.

O Santos também não conta com Jobson e Sanchez, que estão no departamento médico (o último já está em processo de readaptação e deve retornar no início de junho). E não há um jogador no atual elenco com as mesmas características de Sandry. Por isso, o Meu Peixão listou aqui algumas soluções e possíveis escalações para os próximos jogos:

1- Meio-campo ofensivo: Ariel Holan é um técnico adepto à ofensividade e marcação pressão. Uma de suas escolhas pode ser um meio-campo mais ofensivo, com apenas um volante (Alison ou Vinícius Balieiro) e dois meias- atacante, que podem ser Jean Mota, Gabriel Pirani ou até mesmo Lucas Lourenço, porém o último ainda não teve oportunidades sob comando do técnico argentino.

Jean Mota larga na frente na disputa da titularidade (foto: Ivan Storti)

2- Meio-campo equilibrado: Se optar pelo equilíbrio do time, Ariel e sua comissão técnica também podem pensar em uma alternativa mais convencional, com um volante “camisa 5”, um meia de ligação “camisa 8” e um meia armador “camisa 10”. Dessa maneira a escalação seria Alison ou Vinícius Balieiro, Ivonei ou Kevin Malthus, Jean Mota ou Gabriel Pirani nos respectivos setores.

Ivonei pode ganhar novas chances de se tornar titular (foto: Ivan Storti)

3- Meio-campo defensivo: Se o técnico argentino não quiser expor tanto sua equipe, pode ser que em alguns jogos seja comum o torcedor ver uma escalação com dois volantes de contenção, com Alison e Vinícius Balieiro, além de algum armador, seja Ivonei, Jean Mota ou Gabriel Pirani.

Gabriel Pirani pode se tornar titular do time (foto: Ivan Storti)

4- Quatro atacantes: Em 2020, foi muito comum o ex-técnico Cuca escalar quatro atacantes, com um deles jogando mais pelo meio, mas podendo ocorrer trocas entre eles.

Provavelmente, se Ariel Holan quiser usar esse tipo de escalação nos jogos, deverá colocar Alison e mais algum outro meia, caso de Balieiro, se a partida estiver mais truncada, ou até algum armador (Jean Mota, Gabriel Pirani, Ivonei ou Kevin Malthus). Já ou outro “meia” poderia variar entre o Soteldo, Lucas Braga, Marinho ou até mesmo Ângelo.

Soteldo já realizou essa função na maior parte da última temporada (foto: Ivan Storti)

Com a volta dos jogadores lesionados, abre-se um leque maior de opções para a titularidade, podendo utilizar Sanchez ou Jobson como um meia de ligação, ou até mesmo utilizar o uruguaio como o armador do time, função que ele exerceu em praticamente todo o ano de 2019 sob o comando do técnico Jorge Sampaoli.

Sandry só deverá retornar em novembro e perderá praticamente toda a temporada, voltando apenas na reta final do campeonato brasileiro, já que é uma lesão que pode deixar o jogador longe dos gramados de 6 a 9 meses , mas a torcida fica na esperança de uma rápida recuperação e que ele retorne melhor ainda.

O Santos retorna a campo nessa terça-feira contra o San Lorenzo, da Argentina, no Nuevo Gasómetro, 21h30 (de Brasília). Uma possível escalação é: João Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Vinícius Balieiro e Gabriel Pirani (Jean Mota); Marinho, Marcos Leonardo e Ângelo (Lucas Braga).

Estagiário no Meu Peixão e futuro Jornalista.

1 Comentário

1 Comentário

  1. Migson

    6 de abril de 2021 às 16:55

    Brabooo 🔥🔥

Deixe uma resposta

Anúncio

Veja Também

Mais em Colunas

%d blogueiros gostam disto: